Entrevista Especialista Dr. Cardoso: CRIOLIPÓLISE FAQ


Perguntas frequentes sobre Criolipólise - Entrevista

Dr. Ricardo Cardoso – Especialista

O post de hoje é para quem ainda está com dúvidas sobre a criolipólise e quer ouvir as palavras de um profissional da área. Realizamos uma entrevista com o Dr. Ricardo Cardoso, proprietário de uma clínica de estética na cidade de Passo Fundo – RS. Ele sanou 15 das dúvidas mais frequentes dos pacientes. Vamos a elas??

Renata – Olá, Dr. Ricardo. Agradecemos imensamente por ter aceitado este convite, dispondo-se a responder algumas dúvidas frequentes sobre a criolipólise! Primeiramente, gostaria que o Sr. falasse um pouco sobre sua área de atuação e sobre sua experiência com este tratamento estético.

Dr. Ricardo Cardoso – Sou formado em Biomedicina com Habilitação em Patologia Clínica e possuo especialização em Biomedicina Estética pela Associação Brasileira de Biomedicina (ABBM/SP). Atuo na área desde o ano 2009, e com a Criolipólise desde Fevereiro de 2013, já tendo realizado mais de 500 aplicações da técnica de congelamento e eliminação de gordura localizada.

Renata – Muito bem. Agora vamos às perguntas!

CRIOLIPÓLISE FAQ – PERGUNTAS MAIS FREQUENTES

1 – Existe um curso para manusear o aparelho de criolipólise? O tratamento pode ser feito por qualquer profissional da área da saúde?

R: Como toda a técnica na área da Saúde, o profissional deve possuir uma formação específica, de preferência ter realizado uma capacitação com o importador do aparelho. No Brasil, a técnica é aplicada por profissionais Médicos e Biomédicos especialistas em suas respectivas áreas. O ideal é o paciente se certificar da formação do profissional no seu respectivo Conselho de Classe, informações acessíveis na internet.

2 – Quanto de gordura localizada, em média, seus pacientes perdem por sessão?

R: O que se nota é uma perda entre 20 à 30% de gordura na região tratada. Gosto muito de falar em medidas, em um abdome, por exemplo, notamos uma diminuição de no mínimo 04 cm de circunferência na linha média.

3 – O resultado é garantido ou alguns pacientes podem, eventualmente, não obter sucesso com o tratamento?

R: A diminuição de gordura localizada sempre ocorre, desde que o paciente não aumente o seu peso até a revisão final.

4 – Você já atendeu pacientes homens? Se sim, algum deles optou pelo tratamento como forma de amenizar um quadro de lipomastia?

R: Sim, os homens representam cerca de 30% dos atendimentos. O procedimento tem demonstrado ser muito eficiente para redução de gordura na região peitoral (lipomastia) em pacientes masculinos. É de extrema importância realizar uma anamnese bem detalhada para não confundir o caso com ginecomastia, já que essa não deve ser tratada com criolipólise.

5 – Qual é o aparelho de criolipólise usado em sua clínica? Possui registro junto à ANVISA?

R: Temos disponível o Crio Top Body Redux licenciado pela Empresa Advice do Brasil com registro na ANVISA de nº 80093310027.

6 – Algumas clínicas anunciam, em sites de compras coletivas, pacotes com 3 sessões de criolipólise por menos de R$ 1000,00. O que o Sr., que conhece bem os custos do tratamento, tem a dizer sobre isso? Esse preço é viável para uma clínica?

R: A tecnologia de Criolipólise é relativamente recente, e possui um custo de aparelho e consumíveis elevados, além do investimento da formação do profissional, que deve ser especialista em sua área de atuação. Um tratamento ético consiste em profissional capacitado, equipamento confiável (com registro na Anvisa) e utilização de uma manta por paciente/região (com registro na Anvisa). Além disso, a clínica deve ter condições de oferecer um pós-atendimento satisfatório caso o paciente necessite.
Tais fatores estão agregados ao preço do procedimento, que se for muito barato demonstra que o profissional está economizando em alguns desses itens e consequentemente sujeitando o seu paciente a um tratamento pouco confiável.

7 – Muitos pessoas desejam reduzir o volume de gordura em regiões não tão comuns, como tornozelo, papada e a já citada lipomastia. Existem áreas que não podem ser tratadas pela criolipólise? Quais?

R: Sim, a técnica possui algumas limitações. No Brasil ainda não existem ponteiras para tratar a face e o tornozelo. As regiões do corpo que permitem o acoplamento da ponteira com segurança são: abdome, flancos, braços, parte superior das costas (dobra do sutiã), parte inferior das costas (linha da cintura), parte interna das coxas, culotes, peitoral e região púbica.

8 – Os pacientes sempre querem saber se a criolipólise dói ou não. Há reclamações nesse sentido por parte de seus pacientes, ou eles costumam tolerar bem o tratamento?

R: Existe um desconforto no primeiro momento quando é necessário acoplar a ponteira na gordura localizada. Esse desconforto dura poucos minutos, no momento que temperatura negativa, o procedimento torna-se muito tolerável, e o paciente pode ler um livro, assistir televisão ou até mesmo cochilar.

9 – Há muitos relatos, pela internet, de pacientes que sofreram queimaduras com este tratamento. Alguns podem ser encontrados nesse post do facebook: https://www.facebook.com/plasticasegura/posts/366034343452666. O que o Sr. tem a dizer sobre isso? A queimadura é mesmo um risco real? Que fatores podem levar a esse tipo de acidente?

R: A área da saúde não é uma ciência exata, e todo o procedimento está sujeito a complicações. No caso da Criolipólise, para se executar um procedimento seguro deve-se utilizar um aparelho confiável, manta com registro e profissional capacitado. O que ocorre nos casos de queimaduras relatados pela internet é por dois motivos: uso repetitivo de manta, uso de manta sem registro na ANVISA, ou uso de aparelhos sem registros e com calibração inadequada, quando a temperatura demonstrada no visor não condiz com a temperatura real produzida pelo aparelho. Em estudos científicos desenvolvidos pelo Prof. Prof. Dr. Rox Anderson o risco de queimaduras com criolipólise é quase nulo quando a técnica é executada de maneira correta.

10 – É verdade que algumas pessoas podem apresentar flacidez e fibrose após as sessões?

R: Quando a técnica é bem indicada os casos de flacidez não são comuns. No caso de Fibrose é mais raro ainda, sempre aconselho os meus pacientes a utilizarem uma cinta elástica pós-procedimento e realizarem drenagem linfática a partir de 15 dias após a Criolipólise.

11 – A área tratada costuma apresentar uma certa vermelhidão logo após a sessão. Caso isso não ocorra, significa que o tratamento não foi bem feito?

R: Alguns pacientes podem apresentar vermelhidão, outros podem apresentar inchaço, isso varia muito conforme a quantidade de gordura da região, a temperatura utilizada e a sensibilidade do paciente. Mas a vermelhidão tecidual não tem relação com a eficácia do procedimento.

12 – É comum apresentar inchaço na região tratada?

R: Sim a região pode ficar inchada e mais sensível ao toque, isso pode durar até 02 dias.

13 – É preciso fazer dieta restritiva e exercícios físicos para ter resultados com a criolipólise?

R: Não, pois a Criolipólise não é um tratamento de emagrecimento, a técnica apenas reduz a gordura localizada na região tratada. O que recomendo aos meus pacientes é manter o peso até a revisão final para obtermos um melhor resultado.

14 – Quanto tempo o paciente deve esperar para fazer outra sessão de criolipólise na mesma região?

R: Recomenda-se 90 dias de intervalo para aqueles pacientes que desejam repetir a sessão na mesma região.

15– Quais as principais contraindicações para a criolipólise?

R: Gestantes, mulheres em fase de amamentação, obesos, presença de varizes no local, urticária ao frio, alergia a metais, portadores de marca-passo, portadores de angioedema hereditário (AEH), trombofilia, grau de flacidez acentuado na região, presença de hérnia no local e uso contínuo de anticoagulante.

Renata – Dr. Ricardo, muito obrigada, novamente, por ter dedicado um tempo precioso seu participando desta entrevista. Gostaria que, agora, o Sr. prestasse as informações necessárias para os leitores que se interessaram pela criolipólise e desejam realizá-la em sua clínica.

Dr. Ricardo Cardoso:  Biomédico CRBM 15569
Especialista em Biomedicina Estética (ABBM/SP)
Membro da Associação Brasileira de Biomedicina (SP)
Clínica La Santé.
www.lasantepf.com.br
www.facebook.com/lasantepf
[email protected]
Fone: 54.36223900
Passo Fundo-RS

Você também é especialista na área e quer participar de uma entrevista conosco? Entre em contato!

Criolipólise - Relatos e Fotos

Saiba Mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *